domingo, 20 de maio de 2012

DO AVESSO

Em alguma hora e em algum lugar no espaço-tempo...

DO AVESSO

A arte que exala da verdade
Dois corpos vivendo a transitoriedade
Mesmo que a verdade seja um erro
Quero o seu corpo, e quero por inteiro

Quero te virar pelo avesso
Um erro do avesso se torna um acerto
Nossos corpos transitam por onde a alma implora
Perderia a noção do tempo, em um lugar que não existe dia nem hora

Infinito como o nada que se transforma em tudo
Um desejo equivalente ao carma mais absurdo
Quero os beijos de uma boca conhecida
E o gozo tão intenso quanto a força que me habita

Você quer que eu assuma que sou um erro
Que o desejo é reflexo do desespero
Do avesso, o contrário do que para você seria perfeito
Mas não esqueça do descompasso que palpita em seu peito

Somos iguais em meio às diferenças
O prazer é o que almejamos como nossa sentença
Quero que você entenda e pertença a tudo o que sinto
Você faz parte até mesmo do que minto

Com o impulso do sentimento que foi arquivado
Nosso futuro é fruto de um presente do passado
Para você meu coração é um verso jogado pela janela
Como uma miragem que vê em sua tela

Insiste na normalidade que não nos pertence
É o avesso mais sincero, um paradoxo de tudo o que se sente
O avesso de sentir é o que chamam de viver
Do avesso te enxergo e vejo o que mais ninguém consegue ver

É real, mais real do que o explicável, do que o descritível
O melhor da vida é realizar o impossível
E tem muito mais de você dentro de mim
Posso te mostrar, pois não sei mais como traduzir…

3 comentários:

  1. Escreve coisas belíssimas! Aplausos!

    ResponderExcluir
  2. “De repente a vida te vira do avesso você descobre que o avesso é na verdade o seu lado certo”. E por aí vai... Belo texto, Dortas! Mabel

    ResponderExcluir